Notcias

Notícia

Por que em alguns países o volante fica do lado direito do veículo?

Em 27/01/2011, às 12:06:59


Porque facilita a dirigibilidade quando a mão de circulação é "inglesa". Entendeu? Mas não é difícil entender: quando  a mão de circulação é pela direita, como é no Brasil, para facilitar a vida dos condutores, os comandos do veículo ficam do lado esquerdo do carro. Já quando a mão de circulação é pela esquerda, a chamada "mão inglesa", o ideal é que o volante e pedais estajam do lado direito. Assim, a indústria automobilística produz modelos com volante e pedais ora de um lado, ora de outro, conforme a regra de circulação do país onde o carro vai ser usado.

Aston Martin Cygnet

Historinha da Mão Inglesa

Você sabe por que no Reino Unido – Inglaterra, Irlanda, Escócia e País de Gales – o volante fica à direita e os veículos seguem a mão de direção pela esquerda? É que, na era medieval, os cavalos circulavam à esquerda para deixar a mão direita – aquela que manuseava a espada – livre para o caso de luta. No século XVIII, Napoleão (que era canhoto) inverteu tudo, também para facilitar a identificação das tropas inimigas à distância. A partir dali, para os ingleses (inimigos históricos dos franceses), dirigir pela pista da esquerda virou uma questão de honra, mantida até hoje. Ex-colônias britânicas, Índia, África do Sul e Nova Zelândia também dirigem pela mão da esquerda. O Japão foi convencido a dirigir pela esquerda após a visita de um ministro inglês, em 1859. A Argentina adotou a mão inglesa até o começo dos anos 40, e então mudou, para que seus carros circulassem no resto da América do Sul. A Suécia inverteu a mão das ruas, do jeito inglês para o padrão continental, em 1965 às 17:00h de um dia útil, para evitar que motoristas e pedestres distraídos saíssem cedo e esquecessem que os sentidos haviam sido trocados. O último país a fazer a mudança da mão inglesa para o padrão mundial foi a Suíça.

Trafegando - Mão Inglesa

O Brasil segue o padrão mundial de mão de direção, o de circular pela direita. Porém, a mão inglesa – onde os condutores trafegam pela esquerda das vias, é adotada ainda como regra por alguns países. Importante observar, que no Brasil, a mão inglesa é utilizada excepcionalmente, como por exemplo, em alguns retornos e cruzamentos, entradas e saídas de estacionamentos e até curtos trechos de vias, mediante sinalização específica.

E ainda bem que são trechos curtos, pois circular em mão inglesa, para quem não está acostumado, é complicado. Não só pela falta de hábito e habilidade, mas porque o veículo, neste caso, não está "otimizado" para isso.

Equipe Transitare

Link interno: Na contramão!

Compartilhe

Carregando redes sociais


Enviar por e-mail

Comentários

Deixe o seu

Por Joãosinho, em 18/05/2011 08:52:05:

Essa eu nõa sabia, mas acho qee deviam padronizar tudo de uma vez. Quem sai dirigindo da Italia, por exemplo, pode entrar com seu carro em território ingles? Que confusão! Bem legal, Transitare.

Por Eduardo Castro, São Paulo, em 06/06/2011 10:10:01:

Meu avô importou um carro com volante na direita. O carro tá encostado, não presta mais. Ele dizia que precisava intelig6encia britânica para pilotar aquilo.

Por @neobat29, em 01/07/2012 21:01:27:

Bem interessante! Só gostaria de lembrar que a Irlanda não faz parte do Reino Unido, somente a Irlanda do Norte. E Joãosinho, pra ir de carro da Itália pra Inglaterra você precisaria passar sobre as águas do mar.